Você já ouviu falar em PCL e POSTSCRIPT?

No nosso dia-a-dia, nos deparamos com alguns termos do mundo da impressão com os quais nem sempre estamos familiarizados.

Desta forma, é importante termos em mente que existem soluções que atendem a diversas demandas e segmentos deste mercado e que devemos estar atentos e, é claro, entender suas influências na produção e no resultado de cada trabalho impresso.

Além de toners, cilindros, reveladores, tintas, drivers e todos itens que compõem uma Multifuncional ou Impressora, existem outras características que devem ser consideradas para que os arquivos gerados em aplicativos de textos e planilhas, por exemplo, possam ser reproduzidos com fidelidade e qualidade numa folha de papel, sejam estes produzidos num computador de mesa, notebook, tablet ou mesmo smartphone.

Estamos falando das linguagens de impressão PCL e POSTSCRIPT, elementos necessários e similares em suas propostas, que são transformar códigos enviados por um programa e “traduzi-los” para a impressora, produzindo aquilo que chamamos de impressos. Tudo muito simples, Não! Existem algumas particularidades entre uma linguagem e outra e, a seguir, explicaremos um pouco sobre elas.

O QUE É PCL?

Desenvolvido pela HP em meados dos anos 90, o PCL (Printer Command Language) teve como princípio, consolidar modelos e máquinas de diversos fabricantes, permitindo assim utilizar uma única linguagem capaz de executar um padrão de script, gerando instruções e os comandos necessários para o trabalho de impressão. De uma forma geral, o PCL transforma estes comandos em formas, linhas, fontes e textos no qual conhecemos para um pedaço de papel.

O PCL pode ser segmentado em algumas versões, mas que comumente já estão carregadas na maioria dos Firmwares¹ presentes dos equipamentos atuais e são eles:

PCL5

Essa versão foi uma das primeiras que possibilitou a recriação de comandos capazes de gerar gráficos e fontes, e foi também o ponto de partida para a expansão de equipamentos de impressão em todo mundo. O emulador, como é chamado, seria capaz de permitir impressões a partir do sistema Windows. Cada fabricante desenvolveria suas próprias linguagens, mas o PCL seria fundamental para a expansão e consolidação de uma plataforma ou driver capaz de gerenciar a maior parte destes equipamentos.

PCL6

Como o número indica, seria uma evolução da versão anterior. Com a mesma relevância e atribuição, o PCL6 teria a capacidade de atualizar novas demandas, além de permitir maior resolução de impressão e maior número de reconhecimento de fontes. Algumas limitações da versão anterior sugeriam que uma evolução de comandos dentro do PCL6 suportaria instruções mais complexas, como interfaces gráficas, softwares de vetores², determinantes no gerenciamento destas novas demandas mais exigentes do mercado.

O QUE É POSTSCRIPT?

A linguagem Postscript foi criada e desenvolvida pela Adobe em 1982. Visando atender uma demanda mais complexa que permitiria atender plataformas gráficas e aplicações mais específicas como Macintosh, ou seja, uma linguagem capaz de gerar comandos e estruturas elaboradas para o mercado gráfico.

Com toda essa estrutura, o Postscript foi essencial no mercado publicitário e de edição de imagens, diversificando ainda mais a experiência dos usuários e aplicações para níveis ainda mais exigentes. Softwares como Adobe Illustrator e Adobe Photoshop direcionariam vertentes criativas e impressões cada vez mais sofisticadas que só são permitidos por uma linguagem como Postscript. A versão mais atualizada desta linguagem hoje é o POSTSCRIPT 3.

Não significa dizer que o PostScript tem como objetivo somente atender a demanda gráfica, mas o seu alto custo e a patente exclusiva Adobe o consolidam como a linguagem referência do mercado gráfico e publicitário.

CONCLUSÃO

Existem outras linguagens de Impressão como GDI, XPS e até mesmo, o famoso PDF que falaremos numa outra oportunidade. Mas o PCL e PostScript reinam absolutos quando falamos em linguagem de impressão.

Estas linguagens são fundamentais para as impressoras pois são capazes de interpretar todos os dados, instruções e comandos que realizam todas as tarefas executadas pelos usuários de maneira eficiente e fiéis nas formatações e composições, sejam estes textos, gráficos, fontes ou imagens.

No caso de dúvidas, os Consultores Cogra estão à disposição para indicar os equipamentos mais adequados para suprir as suas demandas e necessidades de impressão.

Fale conosco!   (11) 2821-8900

NOTAS
1- Firmware – Conjunto de programas inseridos de fábricas em todos os equipamentos. Estes Firmwares possuem um Setup que permite atualizações periódicas e que possibilitam manter os equipamentos em funcionamento, juntamente com todas as instruções de operação.
2- Vetores – Cálculos matemáticos, conjunto de segmentos orientados por reta que ligam sentido e direção, através de rota AB que ligam seu ponto de origem à outra extremidade, formando linhas ou formas. Presentes em softwares de editoração como Adobe Illustrator e CorelDraw.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: