Tendências do mercado de impressão para 2020

O ano de 2019 já acabou e, além das projeções pessoais como “perder peso”, “parar de fumar”, “ter uma alimentação melhor”, no âmbito profissional, é importante entender que estamos passando por algumas das maiores mudanças no mercado global. A onda de transformação está atingindo todos os tipos de indústrias.

O surgimento do Uber, do Ifood e entre outros aplicativos, fez com que as pessoas buscassem ou considerassem mais esses serviços do que comprar um carro novo ou ir a restaurantes, por exemplo. Além disso, a nova geração está muito mais inclinada a criar suas próprias startups ao invés de procurar empregos privados ou governamentais.

Essas mudanças também acontecem com a indústria de impressão. Imprimir não é mais algo tão simples em uma organização. As pessoas estão, cada vez mais, adotando técnicas e oportunidades modernas para expandir seus recursos de negócios, inclusive a partir da impressão.

Em 2019, chegamos a um nível alto de sofisticação nos sistemas de gerenciamento e armazenamento de fluxo de trabalho de documentos impressos e digitais. Esses sistemas reduzem o impacto ambiental e o custo da impressão e também incentivam o fluxo livre de informações digitais para apoiar as principais necessidades de uma empresa.

Vamos listar algumas das mudanças que vão movimentar o mercado de impressão em 2020:

# Digitalização

Cada vez mais organizações estão investindo na digitalização de seus setores, com uso crescente de ferramentas de automação e tecnologias data driven, as organizações buscam adotar soluções analíticas inovadoras para melhorar o desempenho e os processos internos das grandes empresas. Quando uma organização utiliza dados para entender as possibilidades do mercado e para traçar estratégias coerentes com cada cenário, ela tem uma mentalidade data driven. Esse tipo de mindset faz com que as decisões da empresa sejam mais precisas.

# Segurança

À medida que as empresas busquem maneiras de melhorar a eficiência do trabalho remoto, a integração da tecnologia de maneira segura para envio e recebimento de informações será um aspecto essencial no novo mercado de impressão, com foco em garantir a segurança e privacidade dos dados e ainda permitir uma impressão mais rápida através dos mecanismos de acesso remoto.

# Novas Tecnologias

Com a adoção da Internet das Coisas – IoT, a indústria de impressão experimenta dispositivos mais avançados, resultando em um fluxo de trabalho mais fácil. Você pode esperar que o mercado de máquinas de impressão multifuncionais cresça com essa demanda. Até mesmo os líderes de tecnologia estão procurando adicionar mais funções a esses dispositivos, provando a tendência do mercado.

# Inteligência Artificial

Nos próximos meses de 2020, os líderes de impressão começarão a alavancar a tecnologia de IA (Inteligência Artificial). Alguns recursos surpreendentes já estão em fase de teste e implementação, como o de reconhecimento de voz para impressoras que permitirá que as principais funcionalidades sejam realizadas por meio de comandos de voz com Impressoras Multifuncionais inteligentes.

# Impressoras 3D

Poder criar modelos de brinquedos, móveis, bijuterias, sapatos e até órgãos a partir de um desenho em três dimensões não é mais algo tão impossível assim. As impressoras e o mercado de impressão 3D já começam a ganhar força no Brasil, e ter uma máquina dessas em casa pode ser possível em um futuro próximo. As impressoras 3D e suas soluções já são utilizadas em larga escala em países como Estados Unidos e Japão. O mercado brasileiro começa a perceber e entender as inúmeras possibilidades da impressão 3D para a criação de produtos inovadores e cheios de criatividade, porém, este setor ainda precisa se popularizar no país.

# Tecnologia Inkjet

Segundo os estudos da IDC Brasil, empresa de inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, nos meses de abril, maio e junho de 2019 foram vendidas 656.537 impressoras e multifuncionais. Deste total, 39,8% foram impressoras cartucho de tinta, 39,7% tanque de tinta, 20,3% modelos a laser e 0,2% impressoras matriciais. Além disso, a exploração do potencial dos equipamentos Inkjet (tecnologias tanque e cartucho de tinta) com foco em pequenas empresas (até 100 colaboradores) está relacionada ao crescimento, segundo o analista de mercado da IDC Brasil, Rodrigo Okayama Pereira.

Ainda de acordo com a pesquisa, o valor dos equipamentos é um dos critérios mais importantes considerados neste crescimento das impressoras jato de tinta, isso porque as empresas de pequeno porte entendem que este modelo entrega o melhor custo-benefício, uma vez que nesses ambientes a demanda de impressão não ocorre em grandes quantidades. A economia na reposição da tinta também aparece como um diferencial em relação aos toners mais caros das impressoras laser.

Este modelo possui ainda potencial de crescimento, pois já há no mercado opções de máquinas jato de tinta para uso profissional, mais rápidas e para um volume maior de impressões, apesar dos custos mais elevados destes equipamentos. Além disso, essas impressoras profissionais, às vezes, utilizam um tipo de sistema de tinta diferente, que também pode ser mais caro.

# Crescimento das impressoras com tanque de tinta

A pesquisa da IDC Brasil apontou ainda um crescimento na venda de equipamentos tanque de tinta em detrimento aos modelos com cartucho de tinta, principalmente para o consumidor doméstico e os pequenos empresários, pois apesar de um investimento inicial maior do que o habitual, as impressoras com tanque apresentam alto rendimento de tinta além de serem, em sua maioria, multifuncionais com scanner e cópia.

# Soluções eco-amigáveis

Impressoras mais ecológicas ganham espaço em meios profissionais como: empresas, escritórios, e outros ambientes que necessitam de impressão e cópias de documentos. Com o objetivo de se enquadrar em uma condição de maior cuidado com meio ambiente, os fabricantes de impressoras e multifuncionais têm buscado alternativas para que os novos equipamentos cheguem ao mercado com menor consumo de energia, como por exemplo, o sistema de impressão fria, ou seja, que não aquece o ambiente, além de sistemas de recarrega para quando o nível de tinta está baixo, evitando o descarte demasiado materiais, como cartuchos, frascos, cilindro, reveladores, rolos de fusão e muitas outras peças que formam um excesso de lixo tóxico que muitas vezes acabam sendo descartados de forma incorreta.

Os comentários estão encerrados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: